InícioportalCalendárioGaleriaFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
SEJAM BEM VINDOS À ACADEMIA DE MAGIA LEGILIMÊNCIA!
NOVAS VAGAS PARA CARGOS ESCOLARES E MINISTERIAIS ABERTAS. CONFIRAM!
VOLTA ÀS AULAS!
NÃO DEIXE DE REGISTRAR SEU AVATAR E SUA FICHA DE PERSONAGEM!
TODOS OS AVATARES DEVEM TER O TAMANHO 200X400!

Compartilhe | 
 

 Halloween 2012

Ir em baixo 
AutorMensagem
Epílogo

avatar

Mensagens : 135
Player : Pinho & Sizca

MensagemAssunto: Halloween 2012   Sab Out 30, 2010 11:06 am

Part 1
O café da manhã mais verdadeiro da história.


O dia das bruxas chegara numa velocidade incrível, e como todos os anos, as comemorações seriam as melhores possíveis. Como todos os bruxos que habitavam ou estavam de passagem no Brasil deveriam participar da reunião promovida pelos Collins no ministério da magia, que seria realizada à tarde, as comemorações de Halloween foram realizadas pela manhã.

O café da manhã de Halloween foi posto no Hall – o grande salão - do Castelo de Anders, e nas margens do rio negro havia um lugar aonde os jovens iriam se reunir após se abastecerem energicamente. Tudo fora feito em Anders – já que o castelo da Academia de Magia de Legilimência ainda estava sendo reconstruído magicamente. Uma cobertura foi colocada e diversas mesas cobertas de guloseimas estavam postas em baixo da mesma.

Os alunos da AML que há muito não se encontravam estavam esbanjando alegria em suas conversas, abraços e beijos de reencontro, tudo com muita efusividade. Como todos os grandes eventos anuais aquele estava repleto de pessoas importantes do ministério da magia brasileiro, que estavam sendo recebidas dentro do castelo pelos irmãos Lara e Orion Nosferato e Sophie LittleBrown. Os convidados e diretores não iriam à área externa que foi criada exclusivamente para a reunião da juventude.

Gioconda – a elfa domestica dos Collins – foi responsabilizada em fiscalizar o encontro que aconteceria nas margens do rio negro e preparar o prato principal do evento. Embaixo da cobertura, na mesa central, se encontrava uma grande travessa que estava cheia até a boca com um suculento doce de abóbora, que a maioria dos jovens logo se certificou de provar um pouco.

Citação :
Nota: O doce de abóbora – prato principal – só foi posto para os alunos, como citado. Gioconda a desastrada, quando estava preparando o prato colocou distraidamente um ingrediente especial no mesmo. Veritaserum.

Os alunos que experimentarem o doce contarão seus segredos mais íntimos, se interrogados.

A graça é que nem todos experimentem, pois precisamos de interrogadores!

# Evento idealizado por Hannah E. Vanckock.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Gioconda

avatar

Mensagens : 9

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Sab Out 30, 2010 11:07 am

Um dia antes do café de Halloween.


- Não minha senhora. Gioconda não pode dizer a senhora onde ele está minha senhora. A senhora sabe que Gioconda não sabe! – A elfa estava ficando louca. Mexia o caldeirão enorme de doce de abóbora com sua mágica e tentava convencer sua ama Sarah W. Collins de que não sabia onde um tal de Uzura estava. – Pergunte a meu amo Philip minha senhora. Ele sabe, ele sim sabe e a senhora sabe que ele sabe. Não sabe? – Recuou um pouco com medo de ter falado algo ofensivo, mas em seguida relaxou.

Não tirava seus grandes olhos da garota Collins, porém vez ou outra conferia o ponto do doce que estava quase pegando fervura. Sarah lhe gritou mil ofensas e ameaçou-a com todas as formas de tortura mais cruéis que se pode imaginar. Tirar essa informação de Philip era uma colher de chá para a pequena Collins, o difícil seria encontrá-lo já que deste o aniversario da Academia de Magia de Legilimência ninguém o viu em lugar algum.

A elfa acenou para seu armário e um vidro de cor negra veio em sua direção. Pensou ser açúcar – na realidade era veritaserum que havia escondido de Sarah, quando a mesma a ameaçou de usá-la se ela não colaborasse – e colocou uma boa quantidade sem se quer olhar, pois estava mais atenta a tentar expelir Sarah de sua cola. – Por favor senhora. Gioconda está implorando minha senhora, não me pergunte mais, Gioconda não sabe. – E assim a briga rolou durante um bom tempo.

Atualidade.

A elfa se prontificou de colocar seu maravilhoso doce de abóbora no centro da mesa principal, na travessa de vidro que mais chamava atenção. Ela iria fiscalizar os jovens e não deixar que brigas acontecessem, tarefa fácil já que todos ainda estavam apavorados pelo aniversario da Academia de Magia de Legilimência. Como era a cozinheira chefe foi experimentar um pouco de seu doce antes que qualquer um pensasse em fazê-lo. – HUUM! Gioconda arrasou no doce!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Hannah Eleonora Vanckock

avatar

Mensagens : 139
Player : Sizca

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Sab Out 30, 2010 1:23 pm

mia nonna dice chi cerca trova, ma chi non trova
cerca troppo e a forza di cercare cade giu (...) sfidi la sorte, e guarda caso perdi tu


------------------------------------------------

Hannah simplesmente não podia acreditar no que estava vendo.

Dentre todas as coisas que odiava – e não eram poucas – o “povão” de Legilimência se destacava naquele momento. Por mais que tivesse querido salvá-los, por mais que zelasse pela vida de cada um deles, ela não gostava quando estes mesmos reparavam em suas presas avantajadas, ou sua pele demasiado pálida, fria e dura, ou até mesmo no fato dela ser uma menina bastante forte para sua idade e seu aspecto. Em Anders ela sentia-se normal - foi a primeira coisa que reparou e gostou quando pôs os pés ali. Entretanto, com o castelo de Legilimência destruído, só havia um lugar onde os alunos e professores sobreviventes poderiam se abrigar: Anders. Não que gostasse das milhares de detenções que recebia sem nenhum motivo, mas somente o fato dela não ser mais tão estranha já a motivava a gostar do castelo... Até àquela hora.

Cala essa boca, Racchel. — Disse quando a garota, mais uma vez, expressou sua falsa adoração por aquele lugar; a loura adorava irritá-la, e dizer que Anders era muito melhor com aquela penca de alunos fazia Hannah querer matá-la da forma mais lenta e dolorosa possível. — Olha só: eu não quero me atrasar pro café do Halloween, porque os diretores não toleram qualquer tipo de atraso, sabe. E creio que eles não pouparão os alunos de Legilimência só por não serem daqui. — Concluiu, com um sorriso cínico no rosto. — Bem vinda ao maravilhoso país das detenções, O’Rendell.

Racchel teve a decência de erguer os olhos para o teto, e Hannah sorriu, desta vez, com sinceridade.

Ambas apressaram-se enquanto caminhavam em direção ao Salão Principal que, em Anders, era chamado simplesmente de Hall, mas dizer isso a Racchel seria pedir por um “Eu poderia morrer sem saber disso, e, acredite, isso não mudaria em nada a minha vida”, então Hannah permaneceu quieta enquanto andava.

Olá, Vanckock! — Exclamou um menino, com vários arranhões sobre o rosto, que estava parado e sozinho no corredor. — Está um belo dia, não? — Hannah simplesmente sorriu e assentiu antes de murmurar para a amiga:

Ele é lobisomem; a maioria das pessoas daqui tem medo, então ele não tem muitos amigos... Só os outros lobisomens, que são poucos. — Explicou, tentando parecer natural quando subiu um pequeno lance de escadas. — A maioria está na enfermaria. — Racchel riu, parecendo feliz com esta afirmação.

Quando atravessaram o espaço que separava as mesas do corredor, as maiorias dos alunos de Anders receberam Hannah com um sorriso ou um aceno de cabeça; Racchel simplesmente observava tudo, de testa franzida. Elas sentaram-se em uma mesa afastada da luz que entrava pela fresta de algumas janelas – que eram encantadas para sempre emitirem luz para aqueles que precisavam de sol -, ao fazê-lo, surgiu na mesa um pergaminho com os dizeres “MENU” em letras enormes na parte superior. Hannah pediu que Racchel escolhesse.

Você só tem que escrever aí o que quer. — A morena explicou, dando-lhe uma pena – que não necessitava de tinteiro – que também aparecera na mesa, ao lado do pergaminho. — Mas seja sensata, por favor! E eu quero suco de abóbora com bolo de banana, só pra você saber... — Ela fez força para não rir ao ver Racchel curvando-se sobre o pergaminho e escrevendo o pedido das duas; elas pediram as mesmas coisas, a loira preferiu não arriscar sem conhecer o que era feito ali.

Ao terminar de escrever, a garota dispôs o pergaminho sobre a mesa como Hannah lhe instruiu, e ele logo sumiu, como se nunca tivesse estado ali. Segundos depois, o café que as meninas haviam pedido surgiu diante de seus olhos ansiosos pela fome.

Vocês não vão lá fora? Eu acho que não vou também, não gosto muito de abóbora... — O garoto que as cumprimentara, há alguns minutos, puxara uma cadeira e sentara-se junto a elas. Racchel fez uma careta e se afastou consideravelmente. — Você não gosta de lobisomens? — Questionou, voltando-se para a loira com educado interesse.

Não. — Ela respondeu com arrogância, um sorriso cínico muito parecido com o de Hannah estampado no rosto. — Vamos, Hanny: aqui tá fedendo. — Disse ao se levantar, pegando a amiga pela mão e a puxando-a em direção ao lado externo do castelo. Elas mal tiveram tempo de tocar no café e o garoto ficou ali, sentando, na penumbra, sozinho.

------------------------------------------------

Music: Mia Nonna – Tiziano Ferro. / Clothing: Clica!
Interactions: Racchel Anne O’Rendell (NPC).
Notes: Sim, o estilo da Hannah TEM de ser meio excêntrico porque, afinal, ela *era* uma bruxa Puro-Sangue, isto é, não nasceu entre os trouxas para saber de moda. ):
Voltar ao Topo Ir em baixo
Sophie LittleBrown



Mensagens : 281

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Sab Out 30, 2010 2:42 pm

Lembranças, 02-10-20012

Estranho é como as coisas aconteceram num piscar de olhos. Estranho é perceber que, num relance de momentos, tudo ao que você se dedicou a vida toda acabara. Estranho é parar e notar o quão as pessoas se tornam frias e prepotentes, destruindo o sonho de vida de outras pessoas. Estranho é o sentimento de perca ao notar a vida de um amigo se esvaindo por entre nossos dedos, e se sentir fraca ao perceber que devia te-lo salvado, mas que nada poderia ter mudado, nem mesmo se quisesse.

A sala de estar da mansão Farrel estava gelada e silenciosa, e eu estava sentada á mesa, com o rosto apoiado em uma das mãos enquanto a outra riscava formas abstratas em uma folha de pergaminho velho. Eu tinha consciência de que estava sozinha ali, já que meus irmãos se divertiam na piscina, Ronnan, meu sobrinho vampiro, estava jogando vídeo-game n sala de jogos, já que segundo ele “O sol queima meus olhos, Tia... e eu prefiro não ficar bronzeado – como se isso fosse possível”. Levei um pulo quando Eloysa, que pingava de molhada por todo meu tapete persa novinho, colocou a mão em meus ombros e pulou para a cadeira do lado rindo muito.


- Luryan congelou parte da piscina para patinar... Ele sente falta de casa... – Ela também sentia, mas não admitia. Não dei muito valor para o comentário, ainda tinha minha cabeça em um encontro no Beco Diagonal á um mês atrás, quando jurei dar a vida para salvar meus amigos. Fracassei. Novamente. Eloysa se ajeitou na cadeira e fez sua melhor cara de drama. – Ei... Você não podia fazer nada. Não foi culpa sua. – Fiz uma careta de indignação, e voltei minha atenção para a folha de papel. Acho que isso deve ter irritado minha Irma, pois ela deu um soco com força na mesa. – Ora Sophie! Uma mulher feita... Você não tem vergonha de ficar se lamentando pelo que passou? E mais... Aquele maldito era um comensal! Eu estava na cola dele á anos, e enquanto eu fazia tudo para capturar e mandar para Askaban esses canalhas, você escondia-os de mim? Tenha santa paciência!

- Cale a boca Eloysa! Cale essa sua linda e perfeita boca, antes que eu acabe com ela e com todo o resto de você! Fabio se redimiu... Ajudou-nos. E por culpa daquele louco do Philip ele está morto, e o pobre menino deles está sozinho! - Meus olhos mudaram para uma cor vermelho vivo, e, enquanto eu me aproximava de minha Irma para fita-la mais profundamente, um momento de leve suspense se passou. – Mas ele vai colher o que plantou. Vai sentir o que é perder alguém importante. – Sorri á 30 cm de distancia dela, me virei e corri escada à cima.

Presente

O reflexo do espelho estava a muito mudando magicamente. Eu queria usar o meu dom para mudar o cabelo, já havia cansado do tom negro dele. Essa cor fixa era apenas uma demonstração do meu estado de espírito. Mas agora, se uma cor demonstrasse tão bem o que se passava comigo, essa cor seria um tom de vermelho, ou quem sabe um vinho. Ajeitei a manga da minha camisa, dei mais uma olhada no espelho e fui chamar Luna. Poderíamos ter-nos hospedado na ANDERS, mas não achei uma boa idéia, já que mesmo La não haveria aulas. Então, iríamos até o café de Halloween por aparatação.
Quinze minutos depois estávamos caminhando pelo rio negro, que estava maravilhosamente decorado. Deixei a menina por ali, e fui ajudar a organizar os alunos menores de Legilimencia, que estavam perdidos no novo castelo. Um grupo de garotos rumava para o leste do castelo, onde se localizava, segundo Orion havia me dito, o lugar onde os animais mágicos- e perigosos- usados nas aulas da professora Grouph. Apurei o passo para alcançá-los.


- Não... Ei... Por Merlin! Ai não! Querem ficar sem a cabeça? Já, para o outro lado, vamos!

Os garotos correram assustados pelos gritos, indo parar no salão ou Hall do castelo. Cheguei La poucos minutos depois. O salão era amplo, mas um pouco menor do que o antigo salão do Legilimencia. Estava tudo perfeito, como era de se esperar. Andei por entre as mesas, ate encontrar Lara Nosferato, que observava tudo da mesa dos professores. Ainda não havia esquecido o que ela havia feito a Ministra, e estava louca para saber por que cargas d’água eles haviam feito aquilo.

- A... Oii Lara... Como Vai? Linda decoração. – Falei displicentemente, sem demonstrar nenhuma raiva ou curiosidade pelos acontecimentos. Após escutar a resposta dela, me aproximei mais da moça, para que apenas ela me ouvisse. Sorri ironicamente. – Minha querida, posso lhe pedir algo? Bom... Se o seu amado Philip quiser destruir esse castelo, retire as crianças primeiro. Não queremos mais mortes desnecessárias como ouve em Legilimencia, não é? A... E cuidado. Não se torne mais um fantoche dele. Han... Ele é acostumado a usar as pessoas.
Dei as costas à mulher calmamente e peguei o cardápio e a pena que apareceram em uma mesa a minha frente. Olhei para ela e desfiz meu sorriso irônico. Ela poderia ter me atacado, mas a essa altura dos acontecimentos... – E então, o que vamos comer?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Orion Nosferato

avatar

Mensagens : 127
Player : matheus

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Sab Out 30, 2010 9:25 pm

Antes de você entender o mundo La fora você precisa entender o seu mundo, e isso e muito difícil para o Coordenador da Anders. Orion Para colocar sua mente no lugar costumava meditar e ficar no fundo dos seus pensamentos. Phillip estava preso em um lugar secreto, Xamus desaparecido, e a cabeça de Orion um inferno, mas foi nesse dia... Nesse dia de manha que tudo estava prestes a mudar... Ao se concentrar o Nosferato entra em seu subconsciente.

O vampiro se encontrava dentro dele, o cenário era uma cidade destruída e um céu negro, alguns fantasmas passavam por ali, na verdade era uma legião deles, mas um deles chamava mais atenção, um garoto de uns 12 anos de cabelos curtos negros e sardas na face, Cirius, o único amigo de Orion quando criança que acabou assassinado pelo mesmo. Uma chuva negra caia no local, Orion permanecia calmo e tranqüilo apesar de ver seu passado diante de seus olhos vermelhos. O garoto se aproxima friamente de Orion e fala.

-Porque você não deixa fazer justiça? Ou pelo menos faça o que eu digo?-Diz Cirius-

-Não e assim que funciona... Tem que haver um equilíbrio, não se pode sair destruindo tudo e virar o rei do mundo.

- ATÉ QUANDO VOCÊ QUER CONTINUAR SENDO MALVADO E BOMZINHO ORION, VOCÊ TEM TENDENCIA A SER MAL, VOCÊ SO ESTA SENDO BONZINHO POR CAUSA DA SOPHIE QUE MUDOU SUA VIDA, PENSA QUE EU NÃO SEI?? CADE O SANGUINARIO VAMPIRO AGORA?? DISPERTE O TITÃ QUE TEM EM VOCÊ!!

-não... não...NÃOOO NÃO E ASSIM!! SE EU NÃO FIZER ISSO NIMGUEM VAI FAZER!! –falava Orion com as mãos na cabeça confuso. A chuva começa a aumentar a intensidade –

-Muito bem você não me deixa escolha.... Eu vou voltar Orion... Estou avisando.

Orion acorda de sua meditação encharcado de suor, sua respiração era ofegante como se lhe faltasse ar, um vento soprou aliviando o mesmo, então Orion se acalmou.

A festa estava prestes a começar, Orion estava tomando um vinho tinto e se encontrava encostado em uma pilastra branca com desenhos gregos, seu olhar era assustador, muitos olhavam com medo para Orion enquanto outros olhavam sorrindo devido ao fato do Coordenador ter ajudado no ultimo incidente. Cirius estava fazendo aos poucos a cabeça de Orion, talvez só Shopie e Xamus podem salva-lo de um destino cruel.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Fudy

avatar

Mensagens : 5

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Sab Out 30, 2010 11:35 pm

Nadei, nadei, nadei. Algumas vezes a falta da comida pronta e do apego dos seres humanos me fez falta, embora eu não soubesse o porque, tinha a impressão de que não me valia mais a pena ficar naquela lago.

O dia deveria estar amanhecendo quando atingi o mar aberto. Não soube porque, mas algo me fez sair da água apenas algumas horas depois de ter entrado ali. Respirei fundo, ainda me acostumando com a água salgada e dei um belo impulso para cima e para o ar.

Senti o sol em minha pele por alguns segundos. E depois o impacto de cair sobre a areia macia. Estava em uma ilha ou algo assim, ali alguns animais descansavam, nem mesmo notaram a minha presença, então me pus a caminhar.

A areia nos pés é uma coisa estranha. Hora está muito molhada, e então fica muito quente. Tanto que eu resolvi correr para que não queimasse minhas lindas patinhas. Talvez aquele homem tivesse razão e eu fosse realmente um animal estranho, lembro que quando mais novo eles levantavam-me sem problemas e agora era uma dificuldade incrível, afinal já estava quase to tamanho deles. O que acontecia comigo?

Caminhei mais alguns metros até próximo de algumas construções humanas. Estranho, nunca vi construções humanas se moverem. Talvez fosse perigoso não ser visto por eles naquele local, acabei deixando que minha forma aparecesse, ou melhor, parte dela. E de certa forma deu certo, as pessoas pararam o que estavam fazendo para me ver passar. Ta certo, não foi como eu esperava e realmente só os filhotes conseguiram se aproximar de mim, mas fazer o que?

Caminhei em torno de uns 20 quilometros, meu estomago doía, e eu também não tinha idéia do que era falado ali. As pessoas gritavam, mas em línguas tão diferentes que eu não sabia diferencia-las. Mas o problema é que eu estava com fome.

Também porque não sabia a quanto tempo estava nadando. Talvez dias, talvez meses, ou só algumas horas. Não pude calcular ao certo, eu tinha um humano que nadava comigo sempre, mas era em outras circunstanceas. Talvez ele fosse mais devagar do que eu, não sabia dizer ao certo, mas sentia que estava a dias sem comer. Acabei endireitando o passo e me aproximando de um lugar diferente. Mais uma construção humana? Estranho, parecia muito com aquela que ficava próxima do meu laguinho, que coisa mais boba, porque viajei muito e aquela não era a paisagem que via sempre. Me aproximei devagar, eles não me viram. Estranho que aquelas energias eram tão... familiares.

Acabei entrando, nem pensei em sumir da vista deles, afinal nem fui notado por eles. O salão era diferente de tudo que eu tinha visto. Já havia adentrado o outro salão na presença daquele rapazinho e muitas vezes
Escondido pra pegar uns petiscos quando ninguém estivesse olhando, mas aquele não era como o salão que conhecia. Definitivamente estava em outro local.

Mais acima uma superfície branquinha tinha um cheirinho tão gostoso de comida. Subi ali e comecei o serviço. Bom ficar sozinho de vez em quando, pelo menos não haviam pessoas ali para saírem gritando igual doidas. Mas aquele doce estava... Mágico?! Que porcaria, o gosto era bom, mas a marca da minha boca em uma das partes do prato não era tão legal...

É, é mágico, se eu me preocupasse mais em prestar atenção ao que como do que em narrar a história o meu corpo todo não teria aparecido neste momento, as vezes queria ser menor, ou não, em todo caso, vou ali me esconder, até mais.


Voltar ao Topo Ir em baixo
Richard Pelegrini Collins

avatar

Mensagens : 208
Player : Pinho

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Sab Out 30, 2010 11:36 pm

Acordando desageito
A coisa a ser feita agora é festejar! Ser feliz sem ligar para o que ou quem se importe com isto, a vida é muito curta para ser vivida em função dos outros e eu quero me entregar sem medo, conhecer todos os pecados e poder desfrutá-los junto do meu amor: Hannah Vanckock.

- AAAAAAAAAAAAAH! Já são nove e meia? – Levantei correndo da cama assustado com o horário, chegar tarde a um evento realizado em Anders seria furada para qualquer aluno que fosse interno do castelo. Escovei meus dentes, vesti qualquer par de roupas que estava no topo do meu malão e dei um jeitinho em meus cabelos com a mão, sem ao menos conferir no espelho como havia ficado. Desci o lance de escadas que separa o dormitório masculino de todos os outros salões do castelo e quando menos esperei já estava no Hall, em meio a uma grande quantidade de pessoas que tomavam seu café da manhã numa boa.

Nosferato Lara passou o olho em mim rapidamente e eu me senti mal por isto, mesmo que ela não tenha percebido que eu acabava de chegar eu estava meio cismado, com medo. Não quis comer nada ali, não estava com fome, nem conversar com ninguém, mas Ivana veio me dar um abraço de bom dia e eu o retribui. – Você está um caco Rick, deveria ir se arrumar. – Não sei se era um incentivo, só sei que não ajudou muito, pois meu humor desceu. Eu estava um caco? Que merda, não poderia passar vergonha ali.

Corri ao banheiro e ao ver-me no espelho quase enfartei. Nunca havia visto criatura mais feia em minha frente. – Seu idiota! Trate de acordar antes de tentar... – Fui interrompido por um garoto que entrou no banheiro e estava olhando eu lavar meu rosto, calei-me e continuei minha lavagem facial. Tive o cuidado de arrumar todo meu cabelo que hoje estava num tom loiro claro e dei uma arrumada em minha roupa também, pois a tinha vestido de qualquer forma, o que foi uma tolice.

Voltei ao Hall e fui direto ao lago, procurar minha querida Hanny. – GIOOOOOOOO! AAAAAAAAAH! – Minha elfa, um dos amores de minha vida, a parte da minha família que ainda me apoiava! Ela estava ali... Fui correndo e dei-lhe um longo e caloroso abraço. – Não, eu não quero minha querida! – Disse recusando o doce que me oferecera. Deixei-a de lado e fui procurar Hanny. Não estava com nem um pingo de fome.



Última edição por Richard Pelegrini Collins em Seg Nov 01, 2010 1:27 pm, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Lara Nosferato

avatar

Mensagens : 25

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Dom Out 31, 2010 9:53 am

. .
O que vira a seguir?
Aniversário da AML

Por Merlin, Lara não sabia mais o que fazer, sempre havia sido forte, agora ela estava completamente vulnerável. A que? Nem mesmo ela sabia. Assim que ela e Sophie encostam na chave de portal, as duas vão direto para academia de magia especial de Andears. Philip preparado aquilo, de alguma forma seria muito bom para ela voltar para casa depois de tudo que a moça havia feito. Ela no fundo assentia uma pontada de arrependimento, porém nunca foi de demonstrar isso. Assim que as duas chegam no castelo. Lara olha para Sophie, sabia que Orion queria que ela cuidasse da mulher. Lara respirou fundo e mostrou, sentindo-se estranha. Levou Sophie até os seus aposentos, onde a moça ficaria, até a academia de magia Legilimencia, que pelas noticias que já havia recebido, Philip havia destruído. Lara não conseguia se acostumar com essa idéia, como o seu ‘’amigo’’ poderia ter feito isso com a sua própria escola? Isso não conseguia entrar na cabeça da bela vampira, que teimava em desvendar o que passava na cabeça do Lord das trevas, que a cada dia se demonstrava ainda mais maligno. De péssima índole. Não podemos dizer que Lara Nosferato seja flor que se cheire, pois nunca foi, porem não era tal maligna quanto Philip. E Ainda tinha uma interrogação, onde estaria Orion Nosferato, irmão mais velho de Lara? Ele havia sumido, junto com Philip Collins. E isso também martelava na cabeça da Jovem vampira. Lara sabia sobre os planos de Orion, planos sobre uma sociedade secreta, que seria o equilibrio entre o bem e o mau. Agora o mau estava mais forte, e a vampira sabia que o seu irmão iria fazer de tudo para que houvesse esse equilibrio novamente.

Hoje, Halloween no IMEA


O café da manha seria posto para todos os alunos. E o IMEA receberia também os alunos de Legilimencia, já que o castelo estava em reforma mágica. Lara acordou muito cedo. Ajudou na decoração do lugar para tentar distrair a mente. A decoração tinha ficado perfeita, tudo estava no seu devido lugar. Agora Lara apenas passava monitorando tudo. Sentia alguma coisa estranho no peito, caso tivesse um coração batendo provavelmente ele estaria a avisando de algo. Lara caminhando pelo salão, percebeu vários alunos do IMEA conversando, ao se reencontrarem. A imagem da escola de legilimencia destruída vinha a mente de Lara quase a todo momente, a deixando sempre confusa e intrigada. A festa já havia começado, e quando a bela vampira caminha, como sempre com elegância, mas com um ar de preocupação, percebeu um aluno passando por ela. O Richard Collins. Olhou o garoto de cima a baixo. Richard era sobrinho de Philip, e não era como o restante da família, pelo menos assim parecia. E estava sempre grudado com a sua namoradinha. Então o garoto foi fazer o que devia, e Lara também, sentou-se a mesa dos professores, com um olhar calmo, enquanto olhava para frente. Percebia alguns alunos comendo, outros bebendo entre abraços e beijos de boas vindas, selando o reencontro dos alunos. Cada aluno ali presente, tinha um ódio por Lara, porém era isso que ela queria. Queria estimula-los a ter um ódio dentro de si. Lara treinava os alunos pra combate. Ensinado a utilizarem os seus dons. E para isso, eles teriam que ter ódio no coração antes de tudo.

Lara com a sua audição apurada, ouve passos de aproximando, mas continuou a olhar para os seus alunos, os alunos que ela tanto preza em ensinar. Ouve a voz de Sophie, sua mais nova cunhada. Ainda era estranho para a vampira, saber que o seu irmão que sempre fora tão frio estar apaixonado por alguém. Olhou nos olhos de Sophie, e percebeu que ela era uma pessoa boa de coração, por mais que algumas vezes tentasse ser má. Olhou a decoração e por fim disse – Obrigada, Sophie... Diz num tom baixo, e percebe Sophie aproximando-se mais, ouvindo cada palavra do que ela fala, até o fim, sente os seus olhos ficarem avermelhados, não por vontade de atacar a mulher que estava a sua frente, mas só de imaginar Philip destruindo o seu castelo, a sua escola. Antes que a mulher vira-se para pegar alguma coisa, Lara segura o braço de Sophie e diz, olhando diretamente nos lhos dela. – Ele que tente destruir a minha escola... acabo com ele nem que eu mesma tenha que fazer isso... Lara soltou o braço de sophie, e ela meio intrigada pegou o cardápio, então ao ouvir o que a sua cunhada diz, cruza as pernas um pouco pensativa e abre um sorriso sarcástico dizendo num tom de brincadeira – Querida... eu não preciso comer... lembra? Mas pode comer o que quiser... é só es.. Antes de terminar a sua frase, Lara vê Orion perto de uma pilastra, encostado olhando com o seu olhar mais maligno. Lara e Sophie trocaram olhares. Desde que havia sumido, Lara não tinha o visto mais. Lara olhou novamente para Sophie e diz – Ele está com o Philip... Diz ao olhar diretamente nos olhos de Orion, como se pudesse ler a mente, e saber o que estava acontecendo com o irmão. Ficou assim, quieta, e olhou para Sophie.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Sophie LittleBrown



Mensagens : 281

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Dom Out 31, 2010 10:47 am

Ele está com Philip... – Olhei seria para Lara, ao ouvir as palavras dela, e olhei curiosa novamente para Orion. Não o via desde que o castelo fora destruído, e ele parecia estranhamente pensativo, mas não como de costume... Parecia que algo ruim cobria seu semblante calmo. Segurei a mão gelada e dura da vampira, olhando de conto para ela. – Eu já volto. – Larguei a taça de vinho tinto que tomava em cima da mesa e caminhei decidida para Orion.
Provavelmente ele ouvira minha chegada, mas não se deu o trabalho de virar-se para me receber. Percebi esse ponto estranho, e segurei o braço dele, para que este me olhasse. Lentamente ele se virou, mas não sorriu, só observou. Coisas estranhas estavam acontecendo com ele, e eu sabia que cabia a eu ajudá-lo, como não pude ajudar meus amigos antes. Olhei ainda por mais alguns segundos, e então olhei para o chão.


- Por onde você esteve? Deixou-me preocupada... – Ele abria e fechava a boca repetidas vezes, mas não falava nada. Aproximei-me e beijei a face fria do rapaz, que não se moveu. – Escute... Não deixe que os últimos acontecimentos mudem você. *sorri* É estranho lhe dar conselhos, quando geralmente é você quem os faz. Mas... Eu não quero perder você... E muito menos para eles... Você sabe. – Abracei-o por alguns momentos. Logo um elfo passou levando umas taças com vinho, oferecendo para os convidados. Deixei a minha taça próxima a Lara, e não estava disposta a ir até apenas para buscá-la, então peguei mais duas da bandeja. Ofereci uma ao meu acompanhante, sorrindo. – Toma vinho, ou não precisa se alimentar como Lara?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Eloysa LittleBrown

avatar

Mensagens : 7

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Dom Out 31, 2010 1:27 pm

Flash Back

- O que você está dizendo? Um dos secretários do ministério tinha acabado de entrar em minha sala, dizendo que a academia de magia estava sendo atacada! Como isso era possível. Demorou até a minha ficha cair, que estaria sendo celebrado o aniversário da escola naquele mesmo dia. Eu fiquei um pouco catatônica em inércia por alguns segundo, e fui despertada pelo homem, que disse – Sra. LittleBrown, aurores estão indo para o castelo, o que devemos fazer?! E eu esqueci de mencionar... a Ministra foi morta. Agora sim, com essas ultimas palavras saindo da boca do individuo a minha frente fez com que eu caísse sentada sobre a minha mesa, que estava cheia de uns milhões de papeis. O meu olhar de fúria foi tomado pela tristeza da perda de Takashi. Agora sim, a minha meta era descobri quem havia matado, a ministra. Olhei para o rosto do rapaz, que me olhava como se eu tivesse algo para fazer. Sempre tive uma resposta para tudo, agora apenas lembrei da minha irmã. E disse – Droga! Sophie está naquele castelo! Por mais que eu detestasse a minha irmã gêmea, as vezes. Eu me preocupava com ela. Mas antes que eu pudesse pensar em sair correndo da sala, o homem mais uma vez abre a boca para falar. Senti o meu coração disparando – O que foi agora, Petter? Quem mais morreu? FALA HOMEM! Acho que o meu tom de voz acabou assustando o rapaz. Que apenas ficou me olhando, com os olhos arregalados.

Como sempre estava com a minha respiração mais ofegante, pela raiva que sentia, olhei para o rapaz, e disse, tentando parecer menos brava. Não estava brava come ele, e sim com os fatos que ele tinha me trago as noticias. – Fala, sabe algo sobre a minha irmã? Ela assentiu com a cabeça e começou a falar – Um dos aurores voltaram, e eu ouvi.. ele contando que Lara Nosferata e a sua irmã... Sophie haviam saído de lá, por uma chave de portal, e ninguém mais havia as visto. Agora o que pairava em minha mente era por que Sophie iria sair da escola que ela tanto ama... ou amava pelo menos. Sentei na cadeira, apoiando os cotovelos e cima da mesa. Depois de um tempo, acabei indo para casa. Precisava conversar com sophie. Dois dias depois, quando cheguei em casa, do trabalho, percebi que ela estava um pouco triste pelo o que tinha acontecido. Tentei anima-la porém inútil, não agüentei vê-la assim por um miserável de um comensal imundo! E acabei explodindo com ela dizendo – Ora Sophie! Uma mulher feita... Você não tem vergonha de ficar se lamentando pelo que passou? E mais... Aquele maldito era um comensal! Eu estava na cola dele á anos, e enquanto eu fazia tudo para capturar e mandar para Askaban esses canalhas, você escondia-os de mim? Tenha santa paciência! A reação dela foi o de se esperar, mandou que eu calasse a boca. O tom de ameaça no fim de sua frase, fez com que eu ficasse a olhando, intrigada.

Presente - uma visita ao IMEA

Estava no ministério, ainda lendo alguns milhões de papeis, sobre o passado de vários comensais a serem julgados. Mas não conseguia me concentrar, então simplesmente quando um dos papeis apareceu uma foto e um nome conhecido, logo seguido de outro. Fábio e Philip. Ao que tudo indicava, o diretor da escola de magia era o mais novo e desaparecido Lord das trevas. Num impulso peguei o papel com a ficha do Collins e joguei longe. Tinha que provar quem ele era e o achar, para o colocar em Azkaban, para que apodreça lá, junto com os seus seguidores imundos. Levantei correndo da minha mesa, pegando a capa, e jogando sobre o corpo, passei pela porta e Petter estava lá. – Onde a Senhora vai? Parei subtamente e dei um sorriso para o rapaz dizendo – Onde nós vamos querido... E o puxei pela mão fazendo com que saísse da minha sala. O Rapaz ficou horrizado, coitado. Sempre metia o pobre petter em confusões, mas não poderia ir sozinha ao IMEA. Enquanto saíamos do ministério ia falando para o meu ajudante, que coitado, não estava entendendo absolutamente nada. – Petter, vamos ao IMEA, minha irmã está lá, isso é um ótimo pretesto para investigar aqueles vampiros Nosferatos de perto e saber o que eles tem haver com o Collins e a morte da Takashi. Quando ele menos esperou, eu segurei ao braço dele e aparatei para as proximidades do castelo, já que como toda escola, era impossível de se aparatar diretamente nela. Assim que aparatamos, fiquei olhando em volta tentando me orientar e tomar o caminho certo. Quando Petter segura o meu braço dizendo – Senhora, por favor, vamos embora! Por merlin! Havaí esquecido como esse meu ajudando era medroso.

Caminhei o puxando pelo braço dizendo - Vamos logo Petter, para de besteira, os vampiros não vão sugar o seu sangue até a morte. Acho que ter dito aquilo não ajudou muito o rapaz, mas enfim, fomos caminhando, Adentrei o lugar, indo direto para o salão. Passava por alguns alunos da academia de Legilimencia e alguns que eu não conhecia muito bem. Eu adentrei o lugar com uma expressão seria, e Petter logo atrás de mim, quando um aluno passa por mim e diz – Olá professora Para e fico olhando intrigada, ai eu lembrei que tinha a mesma carinha da Professora da minha irmã. Revirei os olhos e continuei caminhando, quando eu cheguei no salão, olhei em volta, algumas pessoas. Olhei para a mesa dos professores e vi Nosferato, sentada, logo depois a minha irmã saindo do lado da vampira. Acompanhei os passos de Sophie com os olhos, percebendo onde ela se encontrava. A minha irmãzinha largou o mais novo lord das trevas para se entregar ao vampiro? Bom, pelo menos ele tinha ajudado a escola, com os ataques. Mas hoje ele tinha um olhar estranho... muito estranho por sinal. Fui caminhando entre os alunos, tentando ouvir alguma conversa. Passei por perto de Sophie e disse – Olá querida... Olá Sr. Nosferato... Prazer, Eloysa LittleBrown. Eu falei olhando para ele, e depois para Sophie, que eu senti que queria me matar por algum motivo. Simplesmente, depois das respostar, sai de perto deles, indo para perto de alguns alunos. Richard Collins, sobrinho de Philip, e fiquei por ali. Peguei uma taça de vinho, que um elfo passava oferecendo aos convidados, e fiz Petter tomar uma, para ver se a cara de assustado dele sumia.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Jupiter Silva

avatar

Mensagens : 200

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Dom Out 31, 2010 2:21 pm

Faziam exatamente 3 dias que Júpiter estava com Sophie (ou menos?) e o rapaz ainda não tinha dito uma palavra. O que era uma dor de cabeça pra professora que teve uma dificuldade incrível pra cuidar dele, já que este estava completamente abitolado.
Mas quando chegou na hora de tomar café em Anders, as coisas até começaram a melhorar um pouco para o lado da professorinha.

(Porque o garoto não dava trabalho, ele ficou parado como uma estatua durante toda a sua estadia.).

Era de manhã e o rapaz já estava lá, apreciando um café. Se é que se pode dizer que ele apreciou alguma coisa, na verdade Júpiter parecia não apreciar mais nada, nem escovas de cabelo ou roupas ou um banho...

Quando apareceu no salão ninguém teve coragem de falar nada. Os cabelos estavam completamente embaraçados, a camisa desabotoada sob o casaco com a varinha a mostra quase que caindo do bolso completavam um visual “acabei de acordar” junto com o shorts, sem cueca que deixavam marcados os documentos e a perna falsa do rapaz, agora bastante chamuscada pelo ultimo incêndio.

O tênis em um pé só, diferente dos dois pés que sempre usava, além dos óculos e as mangas maiores que os braços eram um sinal mais do que claro que o rapaz não estava nem ai para a própria aparência.

Também não cumprimentou ninguém. Passou direto pelos professores e amigos, (???) e foi para onde estavam distribuídas as mesas, sentando-se em qualquer uma, comendo qualquer coisa. Qualquer coisa mesmo, inclusive o doce da elfa dos Collins, o que também não faria a menor diferença, já que ele estava num momento autista da vida sem falar com ninguém.

Tão autista que ele comeu em velocidade menos cinco e derrubou metade da comida em velocidade mais dez. E também trollou o local em velocidade normal, quando se levantou deixando toda a lambança para que algun coitado limpasse. Acabou indo para bem próximo de Richard e sua namoradinha, embora não tivesse nem idéia de quem fosse ele, por enquanto.



Voltar ao Topo Ir em baixo
Sarah Windsor Collins

avatar

Mensagens : 324
Player : Aninha

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Dom Out 31, 2010 9:56 pm


"Seeking Information"
…Buscando informações…
Desde de o “incidente” na AML, eu estava sozinha. Não sabia onde meu pai estava muito menos para onde tinha levado Xamus. Se ele ao menos aparecesse conseguiria tirar a informação dele, mas sem muitas alternativas me restava apenas interrogar Geoconda que ao que parece, tivera contato com ele. – Me fala Geoconda, onde tá o Xamus, eu sei que você sabe – por mais que eu insistisse ela continuava dando a mesma resposta – Pergunte a meu amo Philip minha senhora. Ele sabe, ele sim sabe e a senhora sabe que ele sabe. Não sabe?

– Eu perguntaria se ele estivesse aqui. MAS ELE NÃO ESTÁ! Escuta bem uma coisa sua elfa estúpida, se você estiver mentindo ou me escondendo algo, você vai se arrepender você tá me entendendo? Eu vou enfiar sua cabeça num caldeirão fervente e te esfolar viva. Então vô te perguntar pela última vez...ONDE ESTÁ O XAMUS?– a elfa continuava a preparar o doce de abóbora, mexendo frenéticamente acrescentando ingredientes enquanto me olhava com medo – Por favor senhora. Gioconda está implorando minha senhora, não me pergunte mais, Gioconda não sabe.

Eu não desisti fácil é claro, continuei insistindo na pergunta mas ao que parece Geoconda estava falando a verdade, “Droga!”. Com um suspiro saí da cozinha com os pensamentos á mil, tentando arrumar uma forma de saber o paradeiro do meu pai e Xamus. “Orion!” é claro, se alguém sabia onde encontrar meu pai era Orion, ele foi visto pela última vez com ele. Subi correndo as escadas para me trocar rapidamente, vesti uma roupa básica, jeans e blusa simples, coloquei a varinha no bolso e uma “capa” na mochila. Desci chamando por Gioconda – Gioconda! Me leva pra Anders. – a elfa aparatou comigo e logo estávamos nos terrenos da escola onde podía-se ver as mesas postas para o café da manhã.

Me virei para a elfa – Fique atenta, quando eu te chamar quero que apareça e aparate comigo pra fora daqui, entendeu? – ela assentiu e eu segui em direção ás mesas procurando por Orion. Alguns olhares me seguiam, alguns assustados, outros de raiva ou até neutros. A reportagem que saíra no Diário de um Mago não falou muito bem do meu pai nem de mim. Segui em frente ignorando a todos e ao ver meu primo Richard andando sozinho provavelmente procurando a namoradinha vampira. Parei ás costas dele e sussurrei em seu ouvido – Bom dia, primo “querido”! – o sarcásmo era evidente no elogio, sorri da cara de surpresa dele a me olhar – Sei que sentiu minha falta, mas sem abraços por favor. – dei um sorriso falso e me afastei dele indo ainda procurando Orion pelo lugar.

Avistei Lara sentada numa mesa e Sophie levantando-se e indo em direção á uma pilastra. Olhando bem pude ver que havia alguém escostado ali, não podia ver o rosto, mas quem mais aquela professorinha insuportável abraçaria com tanto “amor”, se não sua mais nova vítima, quer dizer, seu novo namorado? Caminhei rápido e decidida até onde estavam e parei ao lado de Orion – Preciso falar com você... – olhei para Sophie com desprezo, ela não era confiável, odiava meu pai além de ser irmã da Juíza da Suprema Corte a quem interessaria e muito a informação que estava prestes a pedir para Orion
– Assunto particular.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Richard Pelegrini Collins

avatar

Mensagens : 208
Player : Pinho

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Seg Nov 01, 2010 8:57 pm

Doces ou travessuras?!
Sarah Collins, minha prima super-hiper-mega-preconceituosa passou por mim e disse-me uma sequência de deboches inadmissíveis, desde quando eu iria sentir falta daquele ser terrível? E querer abraçá-la? Faz-me ri. Tive vontade de partir a cara da garota com umas boas tapas, porém controlei-me. O tio Phil bem que poderia dar umas boas palmadas naquela garota louca, ela merecia.

O meu dia iria ser o melhor dos melhores e nada e nem ninguém iria conseguir mudar isto. Continuei andando por entre as mesas a procura de minha querida, não a via em lugar algum e já estava ficando inculcado com isto. Senti alguém puxar minha camisa por trás e me virei para conferir quem era. Meu coração palpitou por um momento, pois pensei que iria dar de cara com minha Hanny, mas não, não era ela.

A atitude também não era dela. Se ela estivesse agora me surpreendendo seria tapando meus olhos para que eu adivinhasse quem seria – e obviamente só poderia ser ela a me abordar assim. – ou dando-me um delicioso abraço por trás (6). – Você deveria procurar por ali Rick! – A garotinha estranha me apontava o local exato em que Hanny estava parada conversando com sua amiga Racchel, uma garota de Obskurní assim como ela. – Obrigado Ivana... – dei-lhe um beijo na testa – em forma de respeito – e retirei-me dali, rumo ao lugar onde estava o meu amor.

Passei pela mesa central e peguei um biscoitinho crocante de banana com canela e recheei-o com o doce de abóbora feito especialmente por minha elfa querida. Andei até perto das duas garotas que conversavam animadamente e as interrompi. – Licença! – As duas olharam para mim e ficaram me fitando, Racchel estava com um olhar descaradamente debochado, o que sempre fazia quando eu me mostrava muito educado. – Doces ou travessuras?! – Disse passando o biscoito com doce de abóbora na boca de Hanny, o que a fez ficar deliciosamente lambuzada.

Antes mesmo que ela pudesse me esganar ou dar chiliques de raiva eu a encorajei a ficar calma, e é o que seria melhor a se fazer. – Se você não limpar logo este seu biquinho lambuzado eu não poderei dar-lhe o beijo em que tanto sonhei essa noite! – Consegui arrancar um belo sorriso dela, que logo passou sua língua sexy e limpou-se degustando o doce da Gioconda. Taquei-lhe o beijo mais caloroso e desejado que pude, segurando loucamente seus cabelos com uma força mediana.



Spoiler:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Orion Nosferato

avatar

Mensagens : 127
Player : matheus

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Ter Nov 02, 2010 1:44 pm

Orion não estava bem nesses últimos dias, ser um Vampiro que equilibra o bem e o mal e uma tarefa muito difícil, Horas Orion tinha vontade de salvar tudo e outras de destruir tudo. Círios se aproveitando disso estava fazendo Orion cair para o lado do mal como antigamente. A presença de Sophie deixou O vampiro calmo porem com uma estranha sensação de culpa. Tentou falar varias coisas, mas nada me veio a sua mente, ela estava preocupada com Orion o que ninguém já mais fizera por ele, o que Sophie me falou me deixou um pouco mais calmo, mas era difícil saber quem era eu de verdade. Peguei a taça de vinho e dei um gole.

-Bem... Posso beber...

Olhar a irmã de Sophie era estranho, ele não sabia o que senti na hora, mas não era bom. Não estava com vontade de falar no momento então de inicio só olhou com um olhar superior para Eloysa, Orion Sentiu Sophie cutuca-lo para falar algo então teve que abrir a boca.

-Hm... Ola...

Orion sentia que a replica de Sophie queria informações, e sentia também que se ela insistisse, ela poderia ter uma morte lenta e dolorosa sem que ninguém soubesse. Senti uma áurea conhecida parecida com a de Phillip, logo sorri, Avistei a Futura Lorde das trevas caminhando até mim, e ouvi seu pedido. Olhei para as irmãs e tive que falar.

-Um momento.

Orion segurou o braço de Sarah sem colocar força e claro, e com sua incrível velocidade parou em um jardim do castelo. O lugar era bem bonito, o vento batia de leve e a grama era verde.

-Sarah... Já sei o que você quer, eu tinha seguido o rastro de Xamus ate certo ponto com seu pai, mas não pude prosseguir, ele esta em Azkaban, aquele lugar seria difícil até para eu entrar sem ser visto e recuperá-lo, seu pai esta Bem, esta comigo em um lugar secreto, não vou matá-lo por consideração a você, por mim eu o matava e te colocava como lorde claro deixaria alguém como seu tutor.

O vampiro olhou a jovem que parecia ter levado um choque de informações, às vezes ele se esquecia que só ele conseguia ser frio e sério.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Sophie LittleBrown



Mensagens : 281

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Ter Nov 02, 2010 2:12 pm

Orion não falou coisa nenhuma, afinal. Logo ele... Que falava tanto. E a presença de Eloysa só o afastou mais. Fuzilei minha Irma, mas afinal a pequena monstrinha Collins chegou e o levou para algum lugar longe de nossa vista. Suspirei pesadamente e olhei par minha Irma –Obrigada maninha... Ajudou bastante. O que veio fazer aqui? – falava rispidamente demais ate mesmo falando com a minha Irma, a qual geralmente não tratava como devia se tratar. Conversei por alguns minutos com ela, e minha atenção se desviou para o outro lado do salão. Depus minha taça na mesa, e esqueci-me dela por ali, como fiz com a taça que ficou perto de Lara. Esta me seguia com o olhar, provavelmente suspeitando dos meus próximos ideais.

Não dei valor para que ela me seguisse com o olhar ou não. Na verdade, tanto fazia o que ela ou qualquer outro achasse dos meus atos, por que isso já não me importava mais. Nem ela, nem Orion e nem ninguém poderia me segurar mais. Já esgotara a minha cota de paciência e bondade há muito tempo, e estava muito a fim de esganar alguém –talvez por isso maltratasse tanto Luna -. Andei ate a mesa do canto, onde um grupo de alunos, inclusive Luna, conversavam agitadamente. Assim que cheguei La, todos pararam de fazer o que estavam fazendo e me olhava assustados. Pude ate imaginar o que pensavam, afinal não é sempre que uma diretora para enfrente de um grupo de alunos sem mais nem menos. Minha cabeça fervia de excitação, mas tentei passar calma e harmonia no meu semblante. Fitei exclusivamente um aluno que sentava ao lado de minha Irma/prima, e sorri para ele.


- Sr.Collins... Pode me acompanhar, por favor?

O garoto me olhou estranhamente, e Luna apertou o braço dele, me olhando. Fiz um aceno com a cabeça e o garoto se levantou, me seguindo. Passei novamente por Eloysa, sem olhá-la, e levei o garoto ate bem próximo do rio negro, e dali desviemos ate o lugar onde mais cedo impedi que dois garotos perdessem a cabeça pelos animaizinhos de Evelyne. – Suponho que deseje segurar meu braço, já que não sabe aparatar, não é Kevin? – o garoto voltou a me olhar curioso, e uma maré de sentimentos passou pelos olhos absurdamente azuis – Para onde vamos, professora? – Sorri para ele – segure meu braço. – Kevin deu uns três passos para traz, assustado. Aproximei-me dele, segurando a varinha ainda presa na blusa. Ele desviava de mim, e por isso apontei a varinha para ele – Petrificus Totalus! – Avancei ate tocá-lo com a mãe direita, aparatando com ele para algum lugar fora do castelo, e principalmente fora da vista de Orion ou de qual quer outro.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Hannah Eleonora Vanckock

avatar

Mensagens : 139
Player : Sizca

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Qua Nov 03, 2010 5:13 pm

(...) Quelle che la notte, un po' te ne vergogni, nascoste ma le fai
E ne parli con gli amici, rimangi tutto a volte; porti le cicatrici, ma nessuno le vedrà...


------------------------------------------------

Acho que vou ali vomitar, sabe. — Racchel se afastou, e se a intenção era ser desagradável, funcionou. Hannah parou o beijo com Richard, fitou-o por um segundo, e teve a súbita vontade de dizer, bem alto: — Seus olhos estão lindos... Você bem sexy hoje, sabia? — Em seguida, tampou a própria boca, olhando a sua volta, mas ninguém parecia tê-la escutado; Richard somente riu, compreensivo, dizendo que ela também estava muito bonita naquela manhã.

Ela estranhou a vontade tão abrupta e ignóbil que a levara a dizer aquilo; como que adotada por um veemente impulso, as palavras saíram de sua boca sem que Hannah conseguisse refreá-las; teve, sim, a intenção de dizer que Richard estava bonito, mas não tão alto, nem de maneira tão peculiarmente sincera. Diria isso se eles estivessem sozinhos, mas nunca em uma festa.

Ocorreu-lhe um pensamento mais interessante, porém, e outro impulso, desta vez mais agudo que o anterior, a fez dizer no tom mais tipicamente natural, interrompendo seus devaneios: — Eu não quero participar desta festa, só quero beijar você o dia inteiro... Ou a noite, se puder. — E no mesmo instante enrubesceu, vendo Richard sorrir novamente quando a puxou depressa para um lugar isolado dos olhos daqueles que participavam da comemoração.

O mais estranho era que Hannah tinha completa consciência do que estava dizendo, mas simplesmente não conseguia se calar. O que havia de errado com ela?

------------------------------------------------

Music: Le Cose Che Non Dici – Tiziano Ferro. Clothing: Clica!
Interactions: Racchel Anne O’Rendell (NPC); Richard Pelegrini Collins.
Notes: É pequeno, porque não há muito que escrever... E eu não quero encher de linguiça, né.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Sarah Windsor Collins

avatar

Mensagens : 324
Player : Aninha

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Qua Nov 03, 2010 8:54 pm


"Centrada e confiante"
...Centrada e confiante…
Orion já sabia o que eu havia ido fazer ali, e se livrou de Sophie mais rápido e fácil do que eu pensei. Num piscar de olhos ele estava segurando em meu braço, noutro, já estávamos parados em meio a um jardim, e a brisa soprando delicadamente meus cabelos, fazendo mechas cobrirem meu rosto. Eu esperava ter que persuadir e convencê-lo a me contar o que tanto me interessava, mas não foi necessário dizer uma única palavra. Ele simplesmente despejou uma torrente de informações bombásticas, sem pausa alguma para assimilação. Fiquei parada por um momento, apenas olhando para Orion, enquanto tentando organizar meus pensamentos, e parte de mim buscava compreender qual a definição de “consideração” para o vampiro.

Depois de alguns segundos não contive minha raiva – Nossa quanta consideração a sua, “não vou matar seu pai, mas você nunca mais vai vê-lo”, não sabe como estou emocionada. – o sarcasmo era evidente em minhas palavras. É lógico que a idéia de me tornar a nova “Lady das Trevas” me agradava, mas eu amava meu pai, e no momento estava preocupada. Queria vê-lo, precisava falar com ele, saber quais eram seus planos, conferir se o Diário de um Mago estava certo ao afirmar que ele havia enlouquecido novamente. Já estava acostumada com o desenquilíbrio de meu pai, mas seu último feito havia me surpreendido, jamais pensei que destruiria a AML, já que parecia ter um íntimo afeto pela academia que frequentou quando mais novo.

Não pretendia implorar para Orion, meu orgulho nunca me permitiria agir de tal forma - Não vou insisti para que você solte meu pai, até porque sei que não vai adiantar nada. – sorri ao pensar no que diria a seguir – Mas posso te garantir uma coisa, meu pai não é fraco como Brandoment, ele é um verdadeiro Lord das Trevas, é poderoso. E não vai conseguir mantê-lo preso por muito tempo, ele vai arrumar um jeito de escapar, e posso te garantir que também vai descobrir uma forma de te matar, e você vai se arrepender de ter feito isso com ele... – minhas palavras estavam carregadas de raiva e confiança, tinha absoluta certeza que meu pai fugiria, confiava no poder e inteligência dele. E sabia que estaria mais furioso do que nunca com Orion, e não descansaria enquanto não se vingasse.

E se meu raciocício era correto, Xamus também estava em perigo, e agora que sabia onde ele estava pretendia resgatá-lo, mesmo contra a vontade de meu pai. Mas não me importava, ele havia planejado e realizado planos sem nem ao menos me avisar sobre o que aconteceria. Me deixou cega e desenformada, buscando descobrir qual era o perigo, o inscidente que ele planejara. Agora era a minha vez de decidir e realizar meu próprio plano sem avisá-lo. Askaban estava sob domínio dos Dementadores, estes por sua vez eram controlados pelo Lord, meu pai, e me daria passagem. Lancei um último olhar arrogante para Orion enquanto dava passos para trás me afastando lentamente dele – Uma vez você me disse que ter um coração não representa fraqueza e sim força...talvez o que esteja prestes a fazer hoje, significa que eu tenho um.

Me virei e saí andando deixando-o parado onde estava, a me observar. Não disse que iria atrás de Xamus, mas ele não era burro e deduziria. Voltei á mulvuca de pessoas que tomavam café e conversavam animadas, me desviava dos que andavam pelo lugar, procurando Geoconda. Estava séria e concentrada em meu objetivo, esbarrei numa pessoa e quando olhei era meu primo Richard que estava agarrado á sua namoradinha insuportável. Ver a cena me irritou, como podia eu ter tantas preocupações, ter que carregar um peso nas costas, e meu querido primo não está nem aí para nada? O encarei séria – Você não se importa com nada não é mesmo? Seu tio está desaparecido á mais de um mês, e você só sabe ficar de agarração com essa sua namoradinha mestiça. Você é uma vergonha pra família, devia tirar o sobrenome Collins do seu nome. Mas não devia estar surpresa não é mesmo? O que mais pode-se esperar de um mestiço imundo, um vampiro, uma aberração feito você?...

Nesse momento Geoconda passou perto de mim e eu desviei minha atenção de Richard, a chamando – Geoconda! – a segurei pelo braço sem um pingo de delicadeza, sabendo que aquilo iria irritar meu primo adorador de elfos, mas antes que ele pudesse reagir, me atacar ou qualquer outra coisa do tipo – Vamos! - ordenei que Geoconda aparatasse comigo para longe dali, e desapareci juntamente com a elfa, mas não sem antes lhe lançar um olhar de desprezo acompanhado de um sorriso sarcástico. Geoconda me levou para casa, e lá eu me prepararia para colocar meu plano em prática naquele mesmo dia, provavelmente á noite, só precisava acertar alguns detalhes.



Voltar ao Topo Ir em baixo
Richard Pelegrini Collins

avatar

Mensagens : 208
Player : Pinho

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Seg Nov 08, 2010 1:24 pm

Eu quero só você, e não importa o que vão dizer!


Se existe uma pessoa que eu conheço bem ela se chama: Hannah Eleonora Vanckock. Aquela garota estava muito estranha naquela manhã, falando demais, colocando muito sentimentalismo em sua vida, muita sinceridade. Eu apenas sorria alegre.

Sarah encostou-se em mim e me disse muitos outros insultos, como se eu estivesse perdendo tempo vivendo minha vida e deixando o resto da humanidade em paz – coisa que nem ela e nem o tio Phil tinham o bom censo de fazer. Eu a fitei e ela puxou Gioconda com uma estupidez incrível e ambas aparataram dali. — Eu não quero participar desta festa, só quero beijar você o dia inteiro... Ou à noite, se puder. – Ela era mestiça? O que importa sobre o sangue que corre em suas veias se ainda assim ele me excita? Eu a queria e não seria o seu sangue que me deixaria longe de onde está verdadeiramente meu coração.

Puxei-a para longe de todos, onde só eu a pudesse ver. Corremos pelas margens do rio negro e quando paramos estávamos tão longe que a coberta colocada para as comemorações já não era mais vista, não estávamos cansados e nem muito menos soados, por conta da resistência maior que a de qualquer outro aluno que estivesse por ali. – Eu te amo sabia? – Beijei-a com carinho. Nunca estivera tão ligado a uma pessoa quanto estava a ela, talvez a meu pai, mas a muito não o via... – Quero viver toda a eternidade ao teu lado minha querida... Se você me quiser, é claro! – Se era para sermos sinceros um com o outro eu também faria minha parte.


Nota - Gioconda tem acesso a uma forma de transporte bem mais eficiente que a aparatação, e por isto, diferentemente de todo e qualquer outro bruxo pode entrar e sair das barreiras dos institutos mágicos com uma facilidade incrível.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Alisson Collins Lancaster

avatar

Mensagens : 549
Player : Alisson

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Ter Nov 09, 2010 6:55 pm

Alisson estava prestes a endoidecer, não sabia o que fazer. Coisas que fugiam do seu controle, decisões importantes precisavam ser tomadas, deveria decidir entre o certo e o mais fácil a se fazer. O garoto estava na sua casa, em salvador. Procurava organizar suas idéias, buscava respostas, a sua bola de cristal não estava disposta a o ajudar. A única coisa que era visível, não fazia sentido, ao menos para ele, uma esfinge. Os minutos se arrastavam parecendo horas, seu pai não chegava e eles ainda deveriam ir ao castelo de Anders, para a comemoração do dia das bruxas, o interesse de Alisson não era a diversão, ou criar novos laços de amizade, ele estava procurando por respostas, talvez elas estivessem naquele maldito castelo.

As últimas noites, não foram às melhores possíveis. Sonhava sempre com um lago negro, algo estava preso no fundo deste lago, só que o garoto não conhecia aquele lugar. E seus sonhos não eram claros, tudo aquilo o deixava preocupado. O resultado das noites mal dormidas podia ser facilmente notado, manchas arroxeadas envolviam seus lindos olhos, vulgarmente conhecidas por olheiras. Não era uma visão muito agradável, Alisson resolveu ir fantasiado de “vampiro” para a tal festa, a maquiagem disfarçaria como estava horrível. E não eram só os seus olhos, sua pele parecia estar morta, sem vida. O vidente demorou-se debaixo do chuveiro, a água fria o despertava e fazia com que seu rosto ficasse mais apresentável. Este era um lado, um tanto desconhecido do garoto, e ao contrario dos que muitos pensavam Alisson preocupava-se muito com sua aparência.

A manha se arrastava indiferente as preocupações e aflições do jovem vidente, que aquela altura já estava pronto. Caracterizado de conde Drácula, havia até colocado presas falsas, talvez estivesse doido, iria parecer uma ofensa as aberrações de Anders, por via das duvidas, levaria seu talismã, nunca se sabe. Alisson não retirava os olhos do relógio sobre a lareira, seu pai estava prestes a voltar da tal reunião no ministério, Alisson resolveu que não iria perguntar nada, ao menos até que voltassem de Anders. Falando em Tiago, o mesmo acabava de chegar. – Vamos, ah bela fantasia a sua. Alisson não respondeu simplesmente aproximou-se do pai e segurou nele, aparatam.

A sensação não tinha sido nada agradável, a viagem tinha sido um tanto longa. Alisson mal aparecera e já havia se tornado o centro das atenções, olhares curiosos e furiosos de alunos de Anders e da AML, até os adultos não tirava os olhos de cima do garoto. Os olhares em nada incomodavam o garoto, que foi direto ao Hall. Os alunos iriam se reunir nas margens de um rio, no lado exterior do castelo. Alisson segui até o mesmo, e esbarrou com um mestiço, os seus olhos foram em direção aos do garoto, que saiu do seu caminho. “mestiços, não passam de vermes”. Alisson estava um tanto atrasado, e sabia que Gioconda elfa domestica dos Collins, deveria estar na festa. Não a achou, chegou próximo da mesa onde estavam sendo servidos as iguarias e serviu-se de um copo de suco de abobora, ele também era um Collins, então bastaria chamar por ela. Gioconda, apareça preciso de você rápido. Disse o garoto boquiaberto com tantas criaturas odientas.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Matheus Windsor Collins

avatar

Mensagens : 115

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Ter Nov 09, 2010 8:19 pm

Flash Back


O que acontecerá? AML destruída? Quem enviaria aqueles dragões para destruir o castelo? Seja lá que fora, deveria ser alguém muito malvado para fazer aquilo, destruir a melhor escola de magia do Brasil? Por quê? Bom, deixando isso de lado, os pesadelos que tivera tendo são horríveis, sempre me lembrando da destruição do colégio, mas quando soube da festa de Halloween, fiquei feliz, e fiquei mais feliz ainda quando descobri que a festa seria no IMEA, iria encontrar pessoas que eu gostava muito, mas ele realmente queria encontrar seu primo Richard, com quem nem conversou no aniversário da AML, estando muito feliz pela oportunidade.

Atualidade


A festa chegara mais rápido do que o imaginado, eu fui fantasiado de vampiro, com direito a presas e olhos amarelos. Depois de fantasiados, os alunos foram levados para o IMEA rapidamente, e logo que chegamos a festa começou, eu fui encontrando amigos meus, o começamos a dançar com o ritmo da música, eu havia esquecido completamente do meu objetivo na festa, e depois da dança, eu vi, uma visão bela e diversa, uma garota (NPC) que parecia brilhar entre as outras pessoas, eu fui direto a ela, e tentando falar com ela, eu disse: - Oi, eu sou Matheus, qual seu nome? - A garota se chamava Amy, era do 3º Ano do IMEA, uma vampira como meu primo, e logo perguntei: - Quer dançar? - Ela aceitou meu pedido, e nós fomos para a pista de dança, eu não conseguia olhar mais ninguém na festa, só ela. Ela parecia um anjo que viera dos céus para me levar ao paraíso, e num ato inusitado, eu acabei a beijando. Ela pareceu não hesitar, e ela me beijou com mais intensidade ainda, eu me sentia, realizado, nunca me apaixonei em toda a minha vida, e quando o beijo acabou, eu me senti envergonhado - Me-me desculpe, eu não quis, eu não... - Antes de eu terminar a frase ela me beijou de novo, e depois do beijo nós continuamos a dançar entre os outros ali.

Spoiler:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Gioconda

avatar

Mensagens : 9

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Sab Nov 13, 2010 9:38 am

A elfa continuava a saborear seu delicioso doce de abóbora [que estava muito verdadeiro] quando fora abordada por Sarah Windsor Collins, o carma de sua vida. – Fique atenta, quando eu te chamar quero que apareça e aparate comigo pra fora daqui, entendeu? – Gioconda assentiu a sua ama e continuou a comer seu docinho e vigiar os adolescentes que ali estavam.

- Ei garotos! Gioconda não pode deixar vocês fazerem isto... Se vocês fizerem isto Gioconda vai descumprir as ordens que foram passadas para Gioconda. – Disse separando por magia dois garotos que estavam se estranhando, aparentemente por um não aceitar o sangue do outro. Deixou o potinho de doce em cima da mesa e foi dar uma volta pelo ambiente observando a tudo e a todos, pronta para evitar qualquer tipo de alvoroço.

Já havia se passado um certo tempo quando a garota Sarah reapareceu para a elfa e a pediu para ir embora dali, juntas aparataram para casa dos Collins, porém a elfa não poderia ficar ali com Sarah. – Gioconda tem que voltar à festa, tem que vigiar aqueles garotos... Sarah vai ficar em casa não é mesmo? Não saia sozinha Sarah... Não desobedeça meu amo Philip. – Quando a garota prometeu ficar em casa a elfa concluiu: - Gioconda vai confiar em você, Gioconda sabe que você é confiável. – Depois desaparatou à Anders.

Em Anders as coisas estavam normais e calmas. Continuou fazendo sua patrulha pela cobertura que estava posta próxima ao belo lago negro e estava agradecendo ao bom Merlin por não ter acontecido nenhuma morte em quanto esteve fora... Seu coração dizia que Alisson Lancaster, o sobrinho de seu Senhor, estava precisando dela e a mesma começou a procurá-lo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Fred Gaunt Peverel

avatar

Mensagens : 71
Player : mal humorado

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Dom Nov 14, 2010 7:45 am

Fred estava se sentindo um lixo, os acontecimentos recentes não o deixaram com uma aparência apreciável, o que realmente era difícil para um lobo, ainda mais quando não se dorme. Desde que se tornara publico a maldição que Fred trazia, muitas coisas aconteceram, e o que menos importava naquele momento era a opinião de seus colegas, quando a academia havia sido destruída. Anders, talvez não fosse tão ruim assim, afinal lá Fred aprenderia a ter controle sobre a Maldição que carregava, e não deveria ser tão ruim, ao lado de Angel.

Fred acordou com os raios de sol que invadiam o estranho dormitório dos “lobos” em que se encontrava, era Halloween e haveria uma festa conjunta com o pessoal de legilimencia, já que o castelo estava sendo reconstruído, Fred demorou-se um pouco no banheiro, tentando dar um jeito em sua aparência, arrumou como pode seus cabelos e desceu ao salão principal. Junto com Samuel um dos garotos como Fred, em Anders não é bom estar sozinho, nunca se sabe o que pode acontecer, em um lugar cercado de criaturas estranhas e agressivas.

Chegando ao salão Fred e Samuel foram diretamente para o lado de fora, nas margens do lago negro, onde estava acontecendo o encontro da juventude, Fred reconheceu alguns “colegas” da Obskurní que estavam enojados, para sua grande surpresa George o seu amigo, veio falar com ele, pura cortesia, nada mais. Não se podia esperar muito de um sangue-puro. Fred serviu-se de um doce de abobora e começou a procurar por Angel.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Alisson Collins Lancaster

avatar

Mensagens : 549
Player : Alisson

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Dom Nov 14, 2010 7:46 pm

A mente de Alisson fervilhava com inúmeros pensamentos, estava prestes a doer. Ele precisava de algumas informações e sabia quem as poderia dar, Gioconda. Ele estava demorando, e algo dizia ao vidente que ela tinha se ausentado, mas isso ele saberia depois, o que era importante era achá-la, e não o que ela fazia ou deixava de fazer. O ar de Anders não era tão agradável, mas o que o levara ali era muito importante, Alisson segue em direção as margens do rio e constata que já o conhecia, de onde? Dos seus sonhos, mas os quais segredos existiam sobre a escuridão das águas.

Não deveria perder tempo, então começou a procurar por Gioconda, que estava na mesa servindo os doces, Alisson se aproximou e começou a conversar com a mesma. – Onde estava, procurei por você e não te encontrei? Alisson respirou e se preparou para começar a indagar muitas coisas a elfa. – você se lembra de sua senhora, não se lembra? Minha mãe gostaria que me contasse como ela conseguiu o talismã da Brave? Alias como eles conseguiram os talismãs? Gioconda parecia confusa, com aquelas perguntas, algo dizia a Alisson que ela seria muito sincera.

--Quero que me conte tudo o que sabe sobre o talismã da Brave, acha que tem um jeito de recuperá-lo? ? Alisson não dava tempo de resposta à pobre Gioconda, era melhor fazer todas as perguntas de uma vez só.. – mais uma coisa, o que sabe sobre o talismã de Anders? E não minta, pois eu saberei. E não se negue ou serei obrigado a te enfeitiçar. Conclui o vidente aguardando por uma resposta.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Gioconda

avatar

Mensagens : 9

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Seg Nov 15, 2010 12:36 pm

E antes de encontrar o garoto Alisson ele a encontrou lhe fazendo uma centena de perguntas confusas, o que a deixou ainda mais louca. – Gioconda estava aqui senhor... – Disse nervosa e com medo que ele soubesse que ela tinha deixado Sarah sozinha em casa, mas no fundo no fundo a elfa confiava que a garota não seria tão tola a ponto se sair por ai sozinha sem um transporte.


- Minha Senhora Cassandra, Gioconda se lembra sim... Como ela o que? Como eles os conseguiram? – Fixou seus grandes e feios olhos no do garoto, temendo que falasse alguma besteira a ele. – NÃO FALE SOBRE ELES... NÃO FALE A GIOCONDA... São símbolos de miséria, coisa errada que Merlin fez foi os criar. Eles tiram a vida de quem os usa, como tirou de Dalmo, de minha Senhora e da vampira má, mas a de Gioconda não... ELES NÃO TIRARAM A MINHA! Não pergunte, Gioconda não lhe dirá nada. – A elfa falava aos gritos chamando a atenção de todos que estavam por ali o que não seria muito agradável para o Lancaster.


Mas de repente uma vontade enorme de contar a verdade tocou-lhe o coração. E as palavras saíram espontânea e descontroladamente. – Os espelhos, é o único modo que Gioconda sabe que o de Brave pode voltar... O meu amo Phil possuía quatro Talismãs, menos o de Brave, ele o usou, mas nunca o teve. Quando se desfez de um por um colocou o de Anders dividido em dois fragmentos e Gioconda sabe disto, pois foi Gioconda que escondeu um deles no lago negro! – Concluiu apontando para o belo lago de Anders e logo em seguida tapando sua boca com as duas mãos.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Hannah Eleonora Vanckock

avatar

Mensagens : 139
Player : Sizca

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Seg Nov 15, 2010 7:04 pm

i will forget my dreams; nothing is what it seems
i will effect you, i will protect you from all the crazy schemes


------------------------------------------------

Hannah não se lembrava de ter dito tanta besteira em sua vida.

Sabia que Richard estava estranhando seu comportamento, mas o garoto não parecia muito interessado em fazê-la parar ou descobrir o por quê daquilo. E Hannah falava demais. Falava em como gostava quando os olhos do garoto atingiam a tonalidade azulada, em como seus cabelos lhe agradavam quando ficavam ligeiramente longos e ela podia passar os dedos calmamente entre eles, e também em como gostava de morder levemente os lábios gelados dele e tantas outras coisas mais que, quando deu por si, estavam deitados, aos beijos, em baixo de um velho carvalho no enorme jardim de Anders. Hannah duvidava que alguém pudesse vê-los, e mesmo adorando aquilo, sabia que havia algo muito errado nessa sua franqueza ridiculamente excessiva e compulsiva.

Parou de beijá-lo - o gosto adocicado dos lábios dele ainda dançando sobre sua língua, aprisionado em suas pupilas gustativas -, porque ela tinha, afinal, outros assuntos com os quais se preocupar. O fato de abrir a boca e só dizer a verdade lhe irritava e assustava, simultaneamente. Colocou uma mecha do cabelo atrás da orelha, em uma tentativa falha de pensar nas palavras antes de dizê-las por aí, mas Hannah sentiu pânico ao perceber que nem isso era capaz de fazer. — Eu estou irritada. Quero parar de dizer só a verdade... Por que eu estou dizendo só a verdade? — Ela sabia que ele conhecia as respostas tão bem quanto ela, mas perguntou mesmo assim – foi impossível não perguntar. Percebeu que sua voz não tinha o tom costumeiro, mas algo distorcido, quase mecânico. Precisava averiguar isso.

Levantou-se e se virou, ouvindo-o dizer algo atrás de si, mas não deu atenção. — Preciso ficar sozinha. Eu volto. — E caminhou em direção a outra arvore paralela ao velho carvalho, que e pendia perigosamente para um lado. Hannah deu a volta e sentou-se em suas raízes proeminentes.

Organizar suas ideias era a melhor forma de ficar calma, e, estando ao lado de Richard, Hannah não conseguiria isso. Ela ainda podia ouvir os sons da festa: todos pareciam completamente felizes, diferente dela. “Primeiro: quero saber que droga é essa”, pensou, sorrindo por um momento ao perceber que, tratando-se de sua mente, tudo estava como deveria ser. “Depois: vou matar o responsável por isso. Ah, se vou... Sempre tem um idiota”. Suspirou pesadamente ao ouvir um farfalhar às suas costas que indicava a aproximação de alguém – passos pesados demais para pertencerem a um bruxo qualquer, era, certamente, seu namorado. “E, por último: preciso mantê-lo ocupado enquanto penso num jeito de dar um fim nisso”, concluiu, sorrindo novamente. Poderia, até, divertir-se com isso (se ficasse quieta, é claro).

------------------------------------------------

Music: We Shout – t.A.T.u. / Clothing: Clica!
Interactions: Richard Pelegrini Collins.
Notes: Relevem, estou doente. Eu sei que contém erros de pontuação, e a coesão e a coerência quase não existem aqui, mas vocês são pessoas legais que vão ignorar isso, não é?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Alisson Collins Lancaster

avatar

Mensagens : 549
Player : Alisson

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Qua Nov 17, 2010 8:16 am

Gioconda parecia estar um tanto nervosa, como se tivesse feito algo errado, parecia nervosa e aflita. Alisson sabia que ela iria falar tudo e mais um pouco do que ele precisava saber, e é claro ele a faria ajudá-lo, antes uma criatura do que pessoas. Realmente seria muito complicado se algo acontecesse a ela, Philip não gostaria nenhum pouco.

No inicio ela não queria contribuir, mas depois abriu o bico, O vidente prestou bastante atenção. Tudo começava a fazer sentido, os seus sonhos indicavam o que ele deveria fazer, Alisson iria começar sua missão por Anders. . – faça licencio se não quiser ter o mesmo destino de Dalmo, não precisa gritar.A elfa parecia ter se acalmado um pouco e Alisson prossegui. . –o castelo esta sendo reconstruído, como poderei ir até lá? Nunca fui a sala dos espelhos, sei que existe, mas não aonde. Diga-me, onde ela fica?

Alisson estava se animando aquela conversa estava sendo realmente inspiradora, muitos planos se formavam na sua cabeça enquanto extraia as informações de Gioconda. – o que você sabe sobre o talismã de Anders, como eu posso pega-lo no lago negro, diga-me? E meu padrinho como conseguiu eles? Alisson pegou um doce de abobora que estava sobre a mesa e começou a comer enquanto esperava respostas.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Gioconda

avatar

Mensagens : 9

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Qua Nov 17, 2010 1:15 pm

A elfa domestica continuava com as duas mãos na boca quando foi advertida pelo garoto Alisson, se falasse algo em tom alto teria o mesmo destino de seu querido e falecido Dalmo, estremeceu de medo e acalmou-se um pouco. – Não terá mais acesso pelo castelo, ele não é seguro e vai demorar de ficar pronto, Gioconda sabe que vai demorar... Seu tio é MUITO MAL! – Gritou com o garoto e lembrou-se de sua ameaça, mas não sabe o porquê de ter feito aquilo e nem mesmo o porquê de ter falado mal de seu próprio Senhor. Só os fez.

- Gioconda é uma elfa estúpida. Gioconda desrespeitosa e feia! - Os piores pensamentos de tortura vieram a sua mente enquanto pensava em como se castigar para poder ficar digna de tornar a ver a face do seu Senhor Philip Lestrange. Retornou a responder ao garoto instantaneamente. – O talismã de Anders não pode ser pego por ninguém, nem mesmo por Gioconda que foi quem o levou até lá... Só um herdeiro legitimo de Augustus Anders poderá fazer isto... E Gioconda não vê um herdeiro de Anders há muito tempo. Eles ainda existem? – Estava ficando nervosa e começou a chorar com medo de acabar pagando com a própria vida por tais informações.

Não poderia contar como seu amo conseguiu, isso a levaria para a forca com toda a certeza do mundo. Pensava consigo mesma o motivo de não estar conseguindo trancar sua língua dentro da boca. E novamente acabou soltando as preciosas informações: - Meu Senhor usou as pessoas, e elas acabavam mortas. Meu Senhor nunca poupou a vida dos mais fracos... Gioconda deveria estar morta, Gioconda é muito poderosa sabia? E por isto ela está aqui com o senhor, meu senhor. – Passou a mão direita por seu rosto velho e enrugado, limpando as lágrimas, e continuou entre o choro. – Eu não posso morrer antes que tudo fique bem, eu preciso ajudar no equilíbrio do mundo. Dalmo não conseguiu, pobre Dalmo... Gioconda sente sua falta. Gioconda vai conseguir.

Tomou um gole de fôlego e resolveu rebater, era a única maneira de ocupar sua boca sem falar besteiras, mesmo sendo essas besteiras coisa sérias e reais. – Porque você está fazendo isto com Gioconda meu Senhor? Está como seu tio e como Sarah querendo ver Gioconda ficar louca? Isto é legal meu senhor? Você gosta disto?

Voltar ao Topo Ir em baixo
Alisson Collins Lancaster

avatar

Mensagens : 549
Player : Alisson

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Qua Nov 17, 2010 6:49 pm

O doce de abobora estava delicioso, tanto que Alisson não resistiu e acabou por pegar mais um não queria comer muito, mas seria difícil resistir aquele doce. Gioconda parecia assustada, talvez por estar falando mais do que devia e estar falando mal do seu senhor, o que não é comum para elfos domésticos. Estava sendo fácil de mais, Alisson não precisou sequer usar seu talismã, havia algo de errado, mas isto não importava, o importante era conseguir respostas para todas as suas duvidas.

Alisson estava atento a tudo que Gioconda falava, e depois de ouvir lhe respondeu. – não venha com essa, é claro que você sabe com entrar em legilimencia e você vai me dizer. Alisson estava decidido a reunir os talismãs, não todos. Mas queria mais dois deles no mínimo. . – Herdeiro, você conhece esta pessoa, não minta, eu vejo em seus olhos. Pessoas, quem e como? Maldição império? Ah, se quiser o equilíbrio terá primeiro que me ajudar.. Alisson falou firme com a elfa que certamente se torturaria depois daquela conversa.

Gioconda era esperta e para fazer o vidente parar de pergunta, ela começou o interrogatório. Alisson não consegui ficar quieto e falou mais do que deveria. . -- eu sou um Collins, você me conhece, não quero você louca, alias isto não importa. Você e útil a mim, por isso não te mato agora mesmo. E você não falara nada a ninguém sobre esta conversa, não é mesmo? Até porque você seria morta por meu padrinho, você sabe, não sabe Gioconda?Alisson havia sido muito sincero e sabia que aquilo poderia atrapalhar as negociações, mas não conseguirá calar a boca.. – o outro pedaço do talismã esta com quem? Qual é o seu poder? Alisson lançou um olhar profundo e penetrante na feiosa elfa.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Gioconda

avatar

Mensagens : 9

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Sab Nov 20, 2010 7:05 pm

A elfa Collins nunca foi um ser muito inteligente, pelo menos não para seus amos, porém as crianças daquela casa sempre estavam roubando-lhe informações bastante preciosas. Informações que deveriam ter sido apagadas de sua ótima memória, e que na realidade foram apagadas com um simples feitiço obliviate, mas a elfa certificou-se de nunca se esquecer de absolutamente nada e deu um jeitinho que as memórias importantes de sua vida jamais sumissem, assim como tantas outras sem importância alguma para as pessoas, somente para ela.

- Gioconda não conhece nenhum herdeiro. Ele as usava de todos os modos, obrigando-as, controlando-as e até mesmo só pedindo para elas. Ele é mau. – E tapou a boca querendo não ter dito aquela ultima parte da frase. Olhou para a mesa de comidas e pegou um garfo, logo em seguida começou a cutucar seu braço esquerdo, furando-se por ter sido uma elfa má. O garoto Alisson tirou o garfo de sua mão e a advertiu que não havia motivo para estar fazendo aquilo, mas a elfa sabia que havia sim e quanto estivesse só o iria fazer.

- Gioconda não sabe quem é o herdeiro, ela já falou que não sabe, não sabe nem se ele existe. Ele conseguia tudo o que queria, controlava, torturava, obrigava, ameaçava e às vezes só bastava um simples pedido, mas tudo o que o Senhor Philip queria tinha de ser cumprido. Gioconda está louca e repetindo as coisas, não consegue se calar e nem pensar... – Desabafou com tristeza, lembrando-se dos acontecimentos horríveis que reinavam na mansão Collins naqueles tempos.

“-... Você é útil a mim, por isso não te mato agora mesmo...” – Indagou Alisson à elfa que tremeu de medo. – O senhor me mataria meu senhor? – Encheu os olhos de lágrimas. – EU NÃO SEI DE OUTRO PEDAÇO! GIOCONDA NÃO SABE. – tornou a voltar a gritar em pleno café da manhã comemorativo, e novamente tinham atenção de todos – VOCÊ É RUIM... UM GAROTO RUIM E QUE NÃO LIGA PARA NINGUÉM, SÓ PARA VOCÊ MESMO! – Virou-se e já ia embora o deixando falando sozinho, até sentir que ele estava segurando em sua velha toalha de banho que mais parecia um pano de chão e que ela usava como uma roupa.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Alisson Collins Lancaster

avatar

Mensagens : 549
Player : Alisson

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Dom Nov 21, 2010 8:55 am

Aquela conversa estava demorando mais do que o planejado, o vidente já havia conseguido informações preciosas, mais ela não estava colaborando muito. Era muito ariscado, até porque ela poderia contar para o seu senhor Philip, ela não seria tão burra, seria? Deveria adverti-la novamente, sim deveria. Ele deveria mudar o rumo da conversa precisava de outra informação, algo mais urgente, seria essencial para seus planos.

Alisson continuou ouvindo a elfa que parecia ter tomado uma boa dose da poção da verdade, não é comum que sua raça fale mal dos seus senhores. Gioconda pegou um garfo e começou a se torturar, Alisson tomou o Garfo de sua mão. – pare com isto, não precisa se torturar. No fundo, Alisson sentia um pouco de afeto por Gioconda, ela sempre fora gentil com ele. Gioconda estava bipolar naquela manhã, Alisson esperou ela acabar com seu espetáculo, e impediu que ela se retirasse.

-- Sim, mas só em ultimo caso. Eu sinto um pouco de afeto por você, mas não me irrite. Preciso ir ao castelo, preciso do Talismã da Brave, e você ira me ajudar, não vai Gioconda? Disse Alisson mostrando o próprio Talismã a Gioconda, guardando novamente. . – Não Grite, não há necessidade para isto, Tem certeza que não conhece o herdeiro, não conhece ninguém que saiba de seu paradeiro? Não, eu não sou Mal, o que estou fazendo é preciso, pelo bem comum. Agora me responda o que meu Padrinho pretende fazer? Alisson estava calmo e serio, olhava Gioconda que estava chorando, tomou outro garfo de sua mão, antes que ela começasse a se torturar novamente.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Richard Pelegrini Collins

avatar

Mensagens : 208
Player : Pinho

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Dom Nov 21, 2010 10:18 am

Irritação = TPM ?!

Continuávamos a nossa conversa e Hanny me elogiava belamente, dando detalhes de tudo o que gostava em mim e o que sentia quando eu mudava algo pela metamorfomagia [mesmo sabendo que eu não tenho controle sobre o dom], sobre nossos beijos... Ela estava falando demais de seus sentimentos e isto não era muito normal. No rala e rola já estávamos embaixo de um belo e enorme carvalho, distante o suficiente para não sermos vistos e nem ouvidos por ninguém. O lago negro estava brilhando com a pouca luz do sol que se fazia refletir em sua superfície aquosa, uma cena linda.

— Eu estou irritada. Quero parar de dizer só a verdade... Por que eu estou dizendo só a verdade? – Disse-me se afastando um pouco de mim, em seguida a garota levantou-se e partiu dizendo que queria ficar um pouco só. Definitivamente aquilo não era normal, talvez estivesse de TPM, quem sabe? – Aonde você vai meu amor? – Tentei fazer com que ela não fosse, porém me disse que voltaria logo e que realmente precisava de um tempo sozinha. Deixei-a ir e fiquei ali estatelado, apenas olhando o belo lago negro e a cobertura armada lá perto de suas margens, bem longe do lugar em que estávamos.

Eu já sou loiro, e aquilo me deixava ainda mais confuso que de costume... “O que deu nela pra falar tudo o que acha? Minha querida está pirando de vez?” – pensava apreensivo. Não podia deixar aquilo acontecer, estávamos afastados por uma bobagem, que era ela não conseguir controlar sua própria língua, mas que culpa tenho eu por isto? Coloquei-me de pé e pensei algumas vezes antes de fazer qualquer coisa. E realmente deveria pensar diversas vezes, Hannah é muito legal, bonita e conquistadora, mas qualquer demonstração de insegurança e medo pode mudar toda a visão dela sobre a pessoa, uma verdadeira Obskurniana.

Enfim tomei coragem e decidi ir atrás dela [que não estava muito distante de mim] e sentar-me ao seu lado. – Está acontecendo algo diferente não é mesmo? – Podia sentir sua preocupação e ao mesmo tempo sua fúria por não se controlar, aquele descontrole nas palavras não era normal. – Você está bem? Tem algo de errado acontecendo aqui Hanny? – Sempre que estávamos juntos algo dava errado, eu já me acostumava com aquilo... Viver um amor e uma aventura ao mesmo tempo era um tanto quanto difícil para mim, um pacifista nato.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Angel Scorpyan S.Borges

avatar

Mensagens : 61
Player : Descubra vc msm!

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Qua Nov 24, 2010 6:45 pm

Retrospectiva

Após a destruição da AML


Logo após a destruição do castelo as crianças foram envidas aos seus lares, de volta Los Angeles no conforto de seu lar Angel achou que teria um pouco de paz e que estaria livre da ameaça de Orion, a garota não podia estar mais enganada ao chegar mansão Angel encontrou sua mãe muito aflita e seu pai apertava em sua mão direita uma carta com o brasão da IMEA com o rosto vermelho de fúria, Angel entendeu na hora o que estava acontecendo, e amaldiçoando profunda mente o nome de Orion, ela foi receber a noticia de seu pai.

Pietro o pai de Angel entrou em contato com o ministério da magia da França para que Angel pudesse continua permanecer como aluna da AML mais devido à nova lei Angel agora teria que ir para IMEA, para Pietro que era um descendente da família real francesa aquilo era uma ofensa, Pietro então decidiu que mandaria Angel para alguma escola nos EUA ou na Inglaterra, e que sua filha que tinha sangue real Francês e que era a legitima herdeira do grande alquimista Nicolas Flamel não se iria se submeter aquela lei, mas assim que entrou em contato com o ministério de Magia Frances o ministro da magia da França veio pessoalmente à mansão dos Borges para pedir que Pietro e Elizabeth reconsiderassem a decisão de tirar a filha deles a escola de magia do Brasil, pois foi só após os filhos de grandes figuras políticas do mundo mágico Francês irem estudar na escola Brasileira, que o ministério do Brasil e o ministério da França formaram uma aliança que a muito era sonhada,e se Angel que é descendente de Nicolas Flamel e da família real francesa se retira da escola brasileira agora isso poderia trazer o fim dessa aliança.

Depois de pensar muito no pedido do ministro Francês, Pietro e Elizabeth decidiram que Angel iria estudar na IMEA,mas Pietro não ficou nada feliz ao descobrir que a culpa dessa nova lei no Brasil vinha de seu Velho amigo Philip Lestrange mais conhecendo bem o amigo como Pietro conhecia ele sabia que Philip tinha uma carta na manga para ter criado essa lei absurda ainda mais por que Philip foi quem convenceu Pietro e Elizabeth a mandarem Angel para estudar no Brasil,Philip também conhecia Angel muito bem,pois Angel era melhor Amiga de Sarah a anos e durante esses anos Philip presenciou o grande poder que as Veelas possuem sobre o fogo desabrocharem em Angel e a medida que ela crescia esse poder se transformava em uma arma letal,pois Angel não só apreendeu a dominar e manipular o fogo,mas também qualquer chama mágica,inclusive as temidas chamas do inferno as quais eram capaz de queimar qualquer coisa a transformando em meras cinzas,as chamas do inferno eram tão poderosas que transformariam um dragão adulto e completamente sadio em cinzas em menos de trinta segundos,essas chamas foram muito utilizadas durante a guerra que o correu a milênios atrás entre Veelas e Bruxos,mas essas chamas só podem ser dominadas pelos que tem sangue real e por isso quase desapareceu,as chamas infernais exigem uma grande energia e um poder mágico que esta no sangue das veelas da família real e quando atingem o seu alvo elas o queima até a alma,aprisionando a alma da vitima no inferno por esse motivo esse poder só é usado durante as guerras,mas Pietro sabia que seu Amigo Philip conhecia e que ele também sabia que como ultima descendente real Angel era a única que possuía esse poder,Pietro tinha certeza que Philip estava planejado usar o poder de Angel em algo muito grande por isso ele fez tanta questão que Angel fosse estudar no Brasil onde ele ficaria perto da menina.



IMEA no Presente


Angel acordou cedo afinal era manhã de halloween e ela precisava ajudar os alunos que ainda não tinham se adaptado ao castelo da IMEA e como monitora da berkana era sua responsabilidade ajudar seus colegas de Casa, mesmo com todo o ódio e a indignação por ter que estudar na IMEA, Angel jamais deixaria de cumprir os seus deveres, após ajudar os alunos de sua casa Angel retornou ao salão principal para o café da manhã, ao passar pelas portas presenciou uma discursão entre namorados, como os alunos não pertenciam a sua casa ela simplesmente os ignorou e seguiu em frente, quando chegou próxima a mesa Angel olhou de relance para o lado e viu Alisson que parecia está brigando com Gioconda a elfa de sua família, Assim que sentiu o olhar de Angel o menino a olhou no fundo dos olhos dela como se quisesse ver através de Angel.

Angel que nunca teve muito contato com Alisson apesar de ser muito amiga de Sarah e de Kevin que são primos de Alisson, mas Angel sabia por que o menino a encarava daquele modo, como Alisson era clarividente era incomodo para ele ter por perto mestiços, pois ele embaçavam sua visão do futuro, Angel deu um sorrisinho malicioso ao menino e pensou “Você não parece tão confiante quando não é capaz de ver o futuro da pessoa a sua frente não é senhor Vidente” e depois seguiu para tomar seu café, quando avistou Orion por quem sentia um grande e profundo ódio, pois ele era o culpado dela esta ali, Orion parecia estar muito muito feliz e Angel o encarava pensando “ Ria enquanto pode sua sanguessuga super crescida o que é seu está guardado” e para não chamar atenção Angel voltou sua atenção para seu café da manhã.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Epílogo

avatar

Mensagens : 135
Player : Pinho & Sizca

MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   Qui Nov 25, 2010 10:15 am

Evento Finalizado

As conversas e ações não terminadas ficarão subentendidas.
Obrigado por terem participado!

Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Halloween 2012   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Halloween 2012
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Regras e Adendos - — Trick or Treat (Halloween)
» Loja de presentes de Halloween
» Olimpo News - Edição 02 / Fevereiro 2012
» Episódios Shippuuden [Spoiler-Alert]
» Star Wars VII: O Legado dos Sith

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Academia de Magia Legilimência :: #Eventos-
Ir para: